15 de jul de 2008

Um momento, deixa ver se eu entendo.

Um momento, deixa ver se eu entendo.

Os fatos são os seguintes: A Polícia Federal faz uma operação acompanhada de perto pela justiça federal e pelo ministério público. As escutas telefônicas (legais) desvendam uma série de crimes, tentam comprar por 1 milhão de dólares (com direito a gravação para provar tudo) um delegado, um dos homens mais ricos e sinistros do Brasil tem a prisão temporária pedida e aceita por um juiz federal.

Poxa, nem parece o Brasil de pouco tempo atrás!!!

Mas ai vem um ministro do STF (onde o principal acusado diz ter “facilidades”) e, em tempo recorde, manda soltar o acusado (em que pese à tentativa de suborno). Além disso, esse mesmo ministro se revolta com a algema que enfeitou por uns minutos o pulso de um dos homens mais ricos e sinistros do Brasil.

Mais uma prisão depois, e mais uma soltura depois, o povo se revolta, criam blogs para mostrar seu inconformismo, convocam manifestações, juízes, delegados e procuradores se manifestam, o ministro da justiça diz que a polícia federal agiu corretamente, o presidente da República diz que a única maneira de não ser “importunado” pela PF é andar na linha, políticos dos mais diversos partidos se desesperam, jornalistas já não são vistos como eternos mocinhos, etc., etc...

As coisas começam a ficar interessantes e, apesar da ajudinha do STF, esse cara pode, finalmente, receber o que merece e arrastar algumas dezenas de pessoas que merecem tanto quanto ele.

O povo indignado, o ministro da justiça defendendo a PF, o presidente da República defendo o natural funcionamento do Estado de Direito, os juízes e procuradores atentos e vigilantes, tudo começa, definitivamente, a ficar bem interessante.

Mas, de repente, eis que o ministro da justiça e o presidente da “República” parecem mudar de opinião. Talvez a polícia tenha se excedido, talvez a algema colocada em um dos homens mais ricos e sinistros do Brasil tenha sido feita para um favelado, sei lá, não pegou bem.

As notícias são que o delegado que presidiu o inquérito foi afastado e o presidente da “República” receberá o ministro do STF para discutir eventuais reformas das instituições (leia-se, Polícia Federal)!!!

Peraí, quer dizer que quando a PF prende um ricaço sinistro, com um saco de provas de crimes e mais crimes nas costas, o que necessita ser feito é MUDANÇA NAS INSTITUIÇÕES???

O presidente Lula erra duas vezes.

Erra a primeira vez ao trair os milhões de brasileiros que estavam aplaudindo uma PF mais independente e republicana.
E erra a segunda vez ao tentar salvar a elite patrimonialista e corrupta de sempre que ele, Lula, com esse ato demonstra estar ávido por fazer parte.

Lula parece não querer acreditar no óbvio, essa mesma elite odeia Lula, essa elite que Lula se esforça para agradar nunca aceitará o nordestino, torneiro mecânico como um deles. Na primeira oportunidade essa elite rifará Lula sem dó nem piedade.

Será que Lula já esqueceu o episódio do debate com Collor? Esqueceu do apoio explícito da maior parte dessa elite ao tucano Alckmin? Esqueceu das ligações nunca esclarecidas de um delegado da PF com a elite midiática no caso da compra do dossiê contra Serra? Esqueceu dos ataques diuturnos da VEJA, da Folha, do Estado, da Miriam Leitão, etc?

Ou será que na verdade, o que Lula mais quer é esquecer do seu passado e fazer parte dessa elite de uma vez por todas?

É, o Brasil começa a voltar a parecer o Brasil de sempre.

Um momento, as manifestações ainda estão de pé, né? Bem, ainda resta esperança...

Nenhum comentário: